Wednesday, May 31, 2006

Mood pessoal

Não sei porquê, lembrei-me de quando éramos crianças.
As recordações vieram em formato slide, umas atrás das outras, sem cronologia definida.
Pensei nos tempos do Colégio, nesses tempos que me parecem - a esta distância - ter sido regulados pelas estações do ano. Primavera, Verão, Outono e Inverno eram estações bem demarcadas, sucedendo-se como etapas rituais dos anos que iam crescendo em nós.
A Primavera cheirava a Primavera. Os dias amanheciam frescos. É irrepetível o cheiro de uma manhã de Primavera, a abrir o dia com uma réstia do frio da noite. A leveza e a consistência desse ar é inimitável!
Na Primavera chegavam as borboletas e as andorinhas, os morangos e depois as cerejas. Festejava o meu aniversário, convidava amiguinhos de outras turmas para virem à minha sala cantar os parabéns e comer uma fatia de bolo de chocolate ou de ananás. Depois, acabava o ano lectivo. As férias grandes!!
O Verão cheirava a livros, que os Pais tinham tentado esconder desde a Feira do Livro - para que os ditos livros durassem até às férias grandes. Mas eu e o meu irmão descobríamos sempre o esconderijo e quando chegava o Verão já não sobrava grande stock por ler. O meu irmão era mais dado a actividades outdoors, quer dizer bicicleta pelas redondezas e futebol no pátio das garagens. Mas eu não. Eu sempre fui de livros. O Verão dos livros era interrompido pelo Verão da praia.
Uma vez por outra, o Verão cheirava também a dias passados no escritório da Mãe. Num tempo em que as Mães ainda podiam, quando sem alternativas, levar os filhos para o local de trabalho. O escritório era antigo, cheirava a madeira velha, mas também encerada, e rangia o soalho. A Mãe conseguia disciplinar-nos para fazermos os deveres escolares. E deixava-nos escrever à máquina. No tempo em que não havia computadores ou nós nem suspeitávamos da sua existência. Eu e o meu irmão saíamos à hora do lanche, saíamos do escritório e entrávamos no calor do Verão que nos devolvia brilhos do Douro ali de frente para nós. Virávamos à direita e seguíamos para o café que também tinha quiosque. Podíamos comprar livros do Tio Patinhas, e comíamos pão com fiambre, e bebíamos já não me lembro o quê. Era Compal de pêssego, com certeza! Não faço a mais pequena ideia de que falávamos. A Mãe, depois do trabalho, vinha buscar-nos e pagava.
E o Verão era também a casa dos Avós, tardes de calor, a sombra das videiras, a cozinha tão fresquinha, o cheiro do avental da Avó, o pêndulo do relógio a embalar sestas despreocupadas. E torturar caracóis que recolhíamos do muro do quintal. E eu e o meu irmão postos no muro a ver passar e a perguntar aos passantes se eram da APU. Dava-nos para cada uma!
O fim do Verão cheirava a cadernos novos e aos plásticos dos estojos e restante material escolar. E recomeçava o Colégio. Fazíamos sempre redacções sobre as férias do Verão.
E à medida que o Outono avançava, cheirava a castanhas, e anoitecia mais cedo.
Tinha umas aulas de Lavores que abominava. Eu e a minha melhor amiga (era o tempo das melhores amigas) fomos formalmente repreendidas por usarmos as agulhas para riscar as costas das cadeiras da frente em vez de bordar flores nos saquinhos para guardanapos. Agora só uso guardanapos de papel. E quando porventura uso guardanapos a sério, não os guardo nos saquinhos com flores bordadas nas aulas de Lavores da 3a classe.
O Inverno cheirava a Natal, e a guarda-chuvas molhados. E tinhamos kispos (quando todos os casacos eram kispos, quer fossem quer não fossem). E depois de muito tempo de escuro e chuva lá chegava pontual a Primavera.
As estações encadeavam-se num ritmo sem sobressaltos, ou é assim que eu as relembro. Num tempo em que não havia morangos e cerejas todo o ano. Em que íamos para o escritório da Mãe e podíamos escrever à máquina. E na praia ouvia-se ao longe olha a baaatatiinha e bola de berliiiiim. Éramos crianças.

Labels: ,

26 Comments:

Blogger Nelson Reprezas said...

Beijinho. Parabéns.

31 May, 2006 01:11  
Blogger MJ said...

E pensar que tudo o que queremos quando crianças é ser adultos...

31 May, 2006 01:26  
Blogger patchouly said...

Muito bem sinapse. Gostei muito deste post.

31 May, 2006 01:53  
Blogger Pitucha said...

E depois havia a magia do dia de anos! Lembro-me tão bem de quando o meu pai me disse que eu ia fazer uma mão todinha de anos...Cinco, imagina tu!
Bonito post Sinapse
Beijos

31 May, 2006 08:35  
Blogger inBluesY said...

Bd

estás lá com uma foto :)

+ tarde passo por aqui com calma.

jinhos

31 May, 2006 09:14  
Anonymous Anonymous said...

Por que é k não escreves um livro? Ou, polo menos, mais posts destes....

31 May, 2006 11:06  
Blogger Carlota said...

Olha, Sinapse, tem paciência, mas tenho de cá voltar mais tarde!
É que o teu post hoje é looooongo e eu tenho taaaanto trabalho...
Beijola

31 May, 2006 14:25  
Blogger Sinapse said...

Querido Espumante, o aniversário é só daqui a uns dias ... e, infelizmente, já não há daqueles bolos de chocolate ou ananás ...

Beijinhos, ainda nostálgicos,
Sinapse


MJ, não tínhamos noção ...


:) Patchouly


Pitucha, é verdade! :)) ... o dia de anos era tão especial!! :)
... nunca mais vou reaver o sentimento de excitação do dia de anos. Sei que há pessoas que ainda vivem os aniversários dessa forma, mas eu há muitos muitos anos que não ...
Mas Junho é um óptimo mês para aniversários, não é? ;)


InbluesY, já vi ... depois passo lá com mais tempo!
Beijinhos,
Sinapse


Anonymous, não tenho esse talento!!! ... Mas obrigada por essas palavras simpáticas! :)


Carlota, que queres, saiu-me assim um post XXL ...

31 May, 2006 14:44  
Blogger à boleia said...

e eram, claramente, muito felizes!
Gostei muito da tua infncia, com traços tão parecidos com a minha!
beijinho

31 May, 2006 14:59  
Blogger Pitucha said...

Sinapse
Junho é um óptimo mês para fazer anos e, desta vez, se isto continua assim, vamos celebrar os anos...no Inverno! (Ele há sempre uma primeira vez para tudo!)
Beijos

31 May, 2006 16:03  
Blogger Nelson Reprezas said...

PRIMO Os parabéns não eram pelos anos, nem sequer sabia que fazias anos. Era pela sensibilidade e elegância do texto.
SECUNDO estive a reler o texto e ficou-me uma dúvida atrás... atrós... por aí:
O que é "rq rq"? E como é que se pronuncia?
:))
Beijinhos angustiados

31 May, 2006 16:21  
Blogger papoilasaltitante said...

Como me identifiquei com este teu texto!!! Que pena tenho que as crianças de hoje não possam sentir uma magia assim, digo-o sem saudosismo, mas sinceramente penso que as nossas crianças já nascem cheiinhas de Stress...
A magia do dia de anos e a magia do Natal!!!
Beijocas

P.S. fizeste-me sorrir mas também apareceu uma lagrimita no canto do meu olho!

31 May, 2006 16:28  
Blogger rafaela said...

E éramos felizes (não que hoje seja tudo tristeza) mas éramos felizes de uma maneira que não se media, sem tamanho, mas cheia de cheiros e recordações.

É lindíssimo esse teu mood, acho que fiquei no mood também, para escrever qualquer coisa assim, boa. Autorizas? (em letras pequeninas escrevo "pago direitos de autor").

=)

31 May, 2006 17:26  
Blogger Sinapse said...

Boleia ... é esse mesmo o reconfortante sentimento que me ficou da minha infância ... o de uma protegida e despreocupada felicidade!
Obrigada pelas tuas palavras,
Beijinhos,
Sinapse


lol, Pitucha! ... e lá voltamos nós ao nosso tema favorito ... o tempo, na Bélgica, em BXL!...


Espumante, esclarecidos esses parabéns, passemos aos agradecimentos: obrigada, com um sorriso! :))

... qr-qr, slide, qr-qr, outro slide, qr-qr, seguinte slide, qr-qr, seguinte ...

Beijinhos, pouco esclarecedores ...
Sinapse


Papoila, não tenho filhos, mas sinto que tens razão ... Claro que as crianças de hoje, como não têm termos de comparação, só conhecem a sua própria realidade e não sentem a ausência dessa magia que só é magia quando definida pelas nossas vivências dela ...
Mas ainda assim penso que a nossa geração teve realmente infâncias privilegiadas: sem as privações da geração dos nossos Pais ou Avós, e sem a velocidade vertiginosa e consumismo desenfreado dos dias de hoje ...
Beijinhos, e obrigada pelas tuas palavras,
Sinapse


Rafaela, acho que sem querer contagiei toda a gente com este mood nostálgico ... Venha daí esse post, partilha a tua infância connosco!
Beijinhos, e :))
Sinapse

31 May, 2006 17:37  
Blogger JC said...

Adorei!


Há uns dias depois de deixar as meninas na escola vinha a fazer umas contas com os cheiros das estações e outras recordações...


...com que então a torturar caracóis, hás-de pagá-las!

31 May, 2006 17:46  
Anonymous Anonymous said...

Vim parar aqui seguindo a pista deixada pelo"Blue Lounge" e deparei com este post belíssimo.Acho que ler textos assim é muito saudável.Parabéns!

31 May, 2006 17:56  
Blogger Periférico said...

E íncrivel como na infância o tempo passava mais devagar e saboreávamos melhor as estações!

Belas recordações... ;-)

Beijos

31 May, 2006 17:58  
Blogger K'os said...

adorei ver este "filme"

de algum modo contribuiram para a pessoa que és hoje

por isso lembras e recordas bem as cerejas, os morangos, a primavera o outono, o cheiro do avental da avÓ (tiveste sorte) e muitas outras coisas

sem elas , existias mas era alguém diferente do que és hoje

beijinhos

:)

31 May, 2006 20:00  
Blogger 125_azul said...

Maravilhoso. Inspiradíssimo. Lindo. Beijinhos para ti, menina grande

31 May, 2006 20:22  
Blogger Sinapse said...

JC, 'tadinhos dos caracóis, já me arrependi tanto ...

Beijinhos para ti,
Sinapse


Cristina, obrigada pelas simpáticas palavras que deixas na tua primeira visita ... e Welcome, então, to Postais de BXL!
:)


Pois é, Periférico ... suspiro ...


É verdade, Um outro olhar, somos produtos das nossas vivências e experiências.

- Recordar é viver -


Obrigada, Azulita querida!


Passem aqui e deliciem-se com amoras e vagarosos Verões no Douro ...


Beijinhos, a todos!
Sinapse

31 May, 2006 21:36  
Blogger TR said...

Olha e a bolacha americana?? Também me lembro de cheiros no passado de quando em quando, curiosamente e das estações do ano serem bem determinadas no tempo. Da praia do Furadouro com os avós todos os anos no Verão. E os Kispos... o sucesso de uma marca "Kispo" que desapareceu completamente... Belo post!!sweet memories!!

31 May, 2006 23:07  
Blogger Carlota said...

Pois cá estou. O prometido é de vidro e eu não gosto de estilhaços! :)

Gostei IMENSO deste teu post. Traz tantas memórias, que a gente se perde...

Fizeste muito bem em fazê-lo XXL, que estas coisas só assim é que tomam jeito!

Beijola.

31 May, 2006 23:41  
Blogger Folha de Chá said...

Como gostei de ler as tuas memórias, Sinapse. :) E que me fizeram lembrar as minhas. :) QUERO FÉRIAS DE 4 MESES OUTRA VEZ!!!! :)

01 June, 2006 22:39  
Blogger Sinapse said...

TR, não me lembro disso da bolacha americana ...
Fico à espera que um dia faças também um post flashback e expliques isso da bolacha americana! :))


Obrigada pelo tempo dedicado ao post XXL, Carlota!
Beijola, ;)
Sinapse


... as férias grandes, Folhita ... EU TAMBÉM QUERO, OUTRA VEZ!!!
:))

01 June, 2006 22:51  
Blogger BEG said...

Excelente!
Que memórias e recordações tão boas. Soube muito bem ler este post, que fez com que eu pudesse também recordar a minha infância.

02 June, 2006 15:44  
Blogger APC said...

Tá lindo!
Os meus parabéns, a quem eu não sei quem é, mas que é, certamente, da minha idade :-)
Isso de ter criado um blog para um amigo que foi embora (foi isso, não foi?; percebi bem) é de uma ternura imensa.
Parabéns!

02 June, 2006 23:03  

Post a comment

<< Home

Newer›  ‹Older