Tuesday, June 17, 2008

México!

No México, estivemos em Playa del Carmen e em Tulum.
Playa del Carmen poderá vir a ser a próxima Cancún (blargh, cruzes credo canhoto). Está naquela fase de contrato de promessa de compra e venda. Mas se não houver um esclarecido poder público a servir de travão, assinar-se-á de vez a venda da alma do lugar ao diabo do desenvolvimento desenfreado.
Mas para já ... aqui ficam alguns destaques.
Para uma experiência diferente, é obrigatório passar um dia no Mamita's Beach Club ... puro luxo, na praia! *
Também em grande destaque, o Hotel Deseo. Palavras para quê? Vejam as imagens! OK, o preçário pode não apelar ao deseo das nossas bolsas ... mas não é preciso ser hóspede para ir espreitar o bar e a piscina ... é vir da praia, o corpo tostado por um dia de sol, os bikinis molhados e as havaianas cheias de areia ... subir as escadas de pedra, virar à esquerda ... sentar nos sofás brancos, pedir uma margarita de tamarindo ... e esperar pelo pôr-do-sol!
Antes de jantar, um cocktail no
Hotel Básico ... que de básico não tem nada!
Do outro lado da rua, quase em frente ao Básico, está o Babe's Noodles. É entrar no restaurante sem preconceitos ... tem um nome gringo, que tem ... e tem ar de tasca, de boteco ... mas tem uma cozinha excelente! Na esplanada, convém não ficar em nenhuma das duas mesas que dão para a cozinha ... o calor é infernal, verdadeiramente dantesco!
Para uma incursão aos sabores da região maya, o melhor restaurante é o Yaxche. Para provar um pouco de tudo, recomendo a entrada combinada - no menu esta opção vem designada como Moloch, uma combinação de boxito, pibxcatic, tsotolbilchay, nal, tsic. Maravilhoso!
Para as compras, ora pois ... Playa del Carmen também tem uma 5th Avenue. Não ... a sério! ... a rua principal de Playa del Carmen chama-se 5a Avenida ... onde se encontram as lojas, as esplanadas, os restaurantes, os bares ... pela 5a Avenida desfilam locais e turistas, na caloraça do dia e na humidade da noite, num ambiente de praia informal e relaxado!
Mudemos de registo e avancemos para Tulum.
Tulum é a antítese de Playa del Carmen. Para (tentar) descrever Tulum - de forma muito básica, quase gráfica - eu diria que Tulum é uma longa fila de pequenos hotéis e pousadas que se sucedem uns aos outros numa extensão de alguns quilómetros sempre em paralelo ao mar. O acesso faz-se por uma estrada irregular. E dum lado da estrada, em cima da praia, estão os hotéis e as pousadas - do outro lado da estrada, os manguezais. Os manguezais são ecossistemas costeiros de transição entre ambientes terrestres e marinhos - nestes terrenos impregnados pela água do mar crescem diversos tipos de árvores especialmente adaptadas à salinidade do mar, e essas árvores servem de barreira natural face a grandes tempestade e furacões. Por isso tem-se verificado nos últimos anos, em muitos países de climas tropicais e subtropicais, um investimento no sentido de proteger estes espaços naturais. Os manguezais em Tulum são área protegida. Espera-se que isto mantenha Tulum mais longe de vender a sua alma ao diabo!
Todos os hotéis e pousadas são de construção baixa (é proibido construir em altura) e de pequena dimensão, não mais de 6 ou 8 quartos. Recomendo o hotel Ocho Tulum. Fiz quilómetros de praia durante os 3 dias que estive em Tulum e posso dizer que a praia do Ocho Tulum é uma das melhores, se não a melhor! Atente-se no detalhe - o Ocho Tulum define-se como eco-sensitive e não como eco-resort. Quase todos os hotéis e pousadas de Tulum são eco-sensitive e muitos deles são verdadeiramente ecológicos - eco-resorts. Os eco-sensitive denotam preocupação ecológica mas ainda assim oferecem aos seus hóspedes a comodidade da electricidade e água quente. **
Seja qual for o hotel ou a pousada, vale a pena pedir uma cabana virada para o mar ... abrir as portadas e estar assim directamente na praia a 3 passos do mar ... amplia a sensação de relaxamento total!
O restaurante do Ocho Tulum não é digno de nota. Mas caminhando pela praia, nas calmas, entre um banho de mar e outro, fazem-se uns 3 ou 4 quilómetros e encontram-se pelo caminho vários restaurantes ... No Ana y José comi uma ceviche de camarão ... inesquecível! Vale a pena explorar, porque quase todos os hotéis têm restaurantes agradáveis! Para jantar, adorei a Posada Margherita ... a Pousada pertence a italianos e o restaurante serve pasta artisanale ... mamma mia, que cosa buona!
O pueblo de Tulum - que conta com uma ou outra loja e um restaurante afamado que estava fechado durante a nossa estadia - fica no interior, a uns quilómetros da praia. Perfeitamente dispensável!
Mas há uma visita turística obrigatória: as ruínas mayas de Tulum. A cidade maya de Zamá, depois rebaptizada de Tulum pelos espanhóis, ocupa um promontório com uma vista privilegiada para as águas turquesas do mar das Caraíbas. Foi uma das últimas cidades a ser abandonada, depois da ocupação espanhola da Península do Yucatán.
Tulum é para desligar completamente, aproveitar o silêncio, entregar-se à falta de movimento, apanhar sol e dormitar, caminhar pela praia, ouvir o mar ... relaxar, muito!
* desenvolvimento desenfreado seria todas as praias apresentarem-se assim, não?
** não é que a água quente faça muita falta ...

Labels: ,

3 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Que rica guia turística me saíste! :D

18 June, 2008 01:52  
Blogger Sofia C. said...

Sinapse,

Óptimas dicas! Obrigada, bjs Sofia

18 June, 2008 15:29  
Blogger Sinapse said...

... melhor que o Lonely Planet, hein?! lool!

18 June, 2008 17:02  

Post a comment

<< Home

Newer›  ‹Older